Sexta-feira, 27 de Junho de 2008
Naquela manhã de Julho

 

 

 

 

 

Sentado no rochedo
Naquela manhã de Julho
No mais alto penedo
Longe do habitual barulho
 
Ouvi uma bela canção
Vinda do mais profundo da natureza
Era tão bela que conquistou meu coração,
Estranha e tão pura, que beleza
 
De pronto, um enorme vazio
Uma estranha calma
Ficou tudo sombrio
Não se via viva alma
 
O céu verteu suas lágrimas
Senti a beleza da criação
A brisa suspirou em meus cabelos,
Soprando a mais pura emoção
 
Ignorei a gravidade
O chão já não me pertencia
Subi á lua, vagueei pelas estrelas
Voei alto em busca de magia
 
 
"Paixão é uma infinidade de ilusões que serve de analgésico para a alma. As paixões são como ventanias que enfurnam as velas dos navios, fazendo-os navegar; outras vezes podem fazê-los naufragar, mas se não fossem elas, não haveriam viagens nem aventuras nem novas descobertas."


publicado por Fugitivo às 09:57
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Estou vivo
posts recentes

...

Preciso amar e ser amado

A Sombra

Olhos nos olhos

Ilusão

arquivos

Setembro 2013

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30


subscrever feeds